Publicado em

Desinfecção de Consultórios Odontológicos com Luz UV-C

Assim como outros ambientes que trabalham com saúde e possuem uma grande rotatividade de pessoas, os consultórios odontológicos estão sempre vulneráveis a microrganismos diversos. Esta exposição se dá, principalmente, pela presença de secreções humanas como saliva, sangue etc. e pelo uso de instrumentos rotatórios.

Existem diversos meios de contaminação com riscos potenciais, a infecção cruzada, por exemplo, é uma das mais comuns em ambientes hospitalares e clínicos, e consiste na passagem de um microrganismo potencialmente patogênico de um meio contaminado a um local inócuo, ou seja, descontaminado, que então passa rapidamente a ser infeccioso.

Nas clínicas ou consultórios odontológicos, especificamente, a infecção cruzada no geral acontece com a transmissão de microrganismos que se dá pelo contato paciente-profissional, paciente-paciente ou profissional-profissional, por meio aéreo ou por objetos e instrumentos contaminados. 

Embora não seja convencional, há um outro meio que também pode facilitar a transmissão, que é a presença de patógenos nas linhas de água e ar comprimido, que são então transportados pelas mangueiras conectadas aos equipamentos. 

Possíveis riscos

Como podemos imaginar, a vulnerabilidade de ambientes de saúde podem facilitar a transmissão de doenças infectocontagiosas. Para se ter uma ideia, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), 25% dos pacientes que vão aos consultórios estão transmitindo doenças infecciosas, o que pode ser bastante preocupante, caso não existam procedimentos adequados de higienização.

Dentre as doenças mais comuns transmitidas nesses ambientes, podemos citar: catapora, conjuntivite herpética, herpes simples, herpes zoster, mononucleose infecciosa, sarampo, rubéola, pneumonia, papilomavírus humano, HIV, tuberculose, além das hepatites tipo C e B. Quanto às hepatites, os dentistas estão cerca de 13 vezes mais suscetíveis a contrair do que qualquer outro profissional.

Como prevenir?

Este assunto é muito importante e merece ser discutido com mais profundidade. Um estudo feito em 2013 por Fernandez et al. mostrou que apesar de grande parte dos cirurgiões-dentistas já ter sofrido acidente perfurocortante, o conhecimento deles a respeito dos riscos e formas de contaminação não é satisfatório. 

Por isso, é sempre importante ressaltar que, medidas de biossegurança são indispensáveis, como o uso de EPIs por parte dos profissionais (luvas, máscara, óculos, gorro, jaleco etc.), desinfecção de superfícies do consultório e de materiais; uso de plástico descartável para cobrir superfícies e equipamentos. 

Assim como os processos de esterilização comuns (usando alta temperatura) utilizados para esterilização de equipamentos e superfícies, é comum a utilização de alguns antissépticos como álcool 70%, glutaraldeído e formaldeído. 

Entretanto, é importante destacar que esses compostos podem apresentar certo risco na hora da aplicação,  especialmente o formaldeído, que possui um forte odor, que além de irritante, é altamente inflamável e reativo, ou seja, liga-se com outras substâncias muito facilmente originando produtos tóxicos e poluentes ambientais.

Para solucionar esses gargalos, muitas clínicas odontológicas têm adotado outra solução: a desinfecção por meio da luz UV-C. 

Para entender o tema, continue lendo este artigo!

Efetividade da UV-C para a biossegurança na odontologia

A transmissão do agente etiológico da COVID-19 ocorre especialmente por meio do contato direto entre pessoas. A maioria dos estudos publicados até o momento confirma o alto potencial de transmissão viral pelo ar, especialmente quando existe a geração do aerossol (partículas menores do que 5 μm).

Nos ambientes de saúde, principalmente odontológico, a geração de aerossóis se dá pelo simples ato da utilização de objetos durante o atendimento, ou seja, caso o paciente esteja infectado, mesmo que assintomático, pode contaminar o ambiente com o vírus carreado pelo aerossol.

Devido a essa facilidade de transmissão, a desinfecção por meio de Luz UV-C ganhou bastante espaço nos consultórios odontológicos, que hoje utilizam diversos equipamentos com a tecnologia, desde aparelhos portáteis a “robôs”, alguns nacionais e outros importados. Todos têm a finalidade de inativar patógenos indesejáveis, principalmente o vilão do momento: o vírus SARS-CoV-2.

A emissão da luz UV-C por meio de lâmpadas específicas, por exemplo, garantem que todos os ambientes e equipamentos presentes no local sejam desinfectados em um processo que dura em torno de dez minutos. A luz provoca uma ruptura no RNA e DNA dos microrganismos,eliminando-os com uma eficiência de 99,9%.

Vale lembrar que, a efetividade da Luz UV-C não é apenas para esse período de pandemia, mas representa um complemento no protocolo rígido que as clínicas de odontologia devem manter, juntamente com a limpeza dos equipamentos, chão e bancadas com álcool 70%, autolavagem de todos os materiais e uso de todos os EPI’s. 

A tecnologia veio para ser uma grande aliada na higienização e combate a diversas bactérias, fungos e germes suspensos no ar, complementando o atual protocolo de higienização e desinfecção dos ambientes de saúde. 

Cuidados ao utilizar a Luz UV-C

É muito importante reforçar a informação de que a exposição direta ao UV-C pode ser perigosa e, portanto, deve ser evitada pelos seres humanos. Os efeitos da exposição humana aos raios podem incluir danos oculares, que começam com fotoqueratite, e danos cutâneos, que consistem em eritema como uma queimadura de sol.

Portanto, o procedimento de higienização deve ser feito com total segurança não só nos consultórios, mas também na sala de esterilização dos equipamentos, seguindo um criteriosos protocolos de monitoramento e supervisão, bem como uma série de cuidados especiais.

Novas Lâmpadas UV-C 59S

As novas Lâmpadas de UV-C LED, além de contribuírem para a iluminação da sua casa, ainda garantem um ambiente mais seguro! Em breve você encontrará no nosso site os seguintes produtos:

  • SunClean UV-C Desinfecção por LED UFO Light (para a cozinha ou banheiro);
  • Lâmpada High Power de Desinfecção SunClean UV-C LED (para o quarto);
  • Downlight de Desinfecção SunClean UV-C  LED (para a sala).

Todas essas lâmpadas de LED UV-C realizam uma desinfecção automática e inteligente, eliminando até 99,9% dos germes, bactérias e vírus do ambiente.

Mas, inteligente por quê?

Porque elas iluminam quando você chega e desinfeta o ambiente quando você sai! Outra vantagem é que todos esses equipamentos são “Enviroment-Frendly”, pois não utilizam nenhuma substância química, portanto, também não geram resíduos sólidos.

Referências

https://revistaimplantnews.com.br/qual-e-a-efetividade-da-uv-para-biosseguranca-na-odontologia/ 

https://www.saudebusiness.com/mercado/luz-uv-c-ajuda-clinicas-odontologicas-no-combate-ao-coronavirus 

Publicado em

Demanda por aparelhos de luz ultravioleta para desinfecção do COVID-19 cresce no Brasil

A procura por aparelhos específicos para proteção contra a infecção do coronavírus teve um aumento de aproximadamente 60% desde o início de 2021. Com a chegada da vacina e as restrições sendo suspensas em diversas cidades brasileiras, a expectativa é que, a preocupação seja maior com a desinfecção do COVID-19 em locais domésticos e externos.

Pioneira e líder global em esterilização por radiação ultravioleta (LED UV-C), a 59S desenvolve aparelhos para uso doméstico e pessoal, utilizando a luz ultravioleta ou UV-C que, na onda de 100 a 280 nanômetros, é considerada germicida, ou seja, capaz de inativar bactérias, fungos e vírus em superfícies, objetos, ar e ambientes.

Ao contrário dos produtos químicos agressivos que, às vezes, são usados em produtos de limpeza e sanitização, a luz ultravioleta não agride o ambiente. A desinfecção por luz UV-C é segura.
Veja como funciona o processo de esterilização:

“É um método rápido, seguro e eficaz para realizar a desinfecção de superfícies, objetos, alimentos, ambientes, em especial consultórios, clínicas, restaurantes, espaços comerciais, áreas comuns de condomínios, elevadores, automóveis, aeronaves particulares, residências, etc. Esse método inativa até 99,9% dos vírus, bactérias e fungos dos ambientes e/ou áreas expostas à radiação UV-C”, explica o CEO da empresa Hasten LLC, Eduardo de Melo Pereira, que trouxe a linha 59S exclusiva para o Brasil.

Os produtos para desinfecção do COVID-19 e também para a higienização correta do ambiente de trabalho, contra a Covid-19, roubaram a cena na maior feira de tecnologia do planeta, a Consumer Electronic Show (CES-2021), que neste ano foi realizada toda em formato virtual.

Os aparelhos e produtos poderão ser adquiridos online pelo endereço www.59sbrasil.com.br ou diretamente com a distribuidora AAMED, – www.aamed.com.br

Publicado em

Entenda como a desinfecção sustentável evita a disseminação da variante Delta

Em outubro de 2020 foi detectada pela primeira vez na Índia a Variante Delta, uma das mutações do vírus SARS-CoV-2 causador da COVID-19. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), até julho deste ano, a variante foi registrada em mais de 130 países. 

Alguns estudos revelam que a Variante Delta é mais transmissível do que as anteriores (Alfa, Beta e Gama) e isso tem gerado grande preocupação. Sua rápida disseminação agravou após a flexibilização das medidas de isolamento social em muitos países, principalmente no Brasil, mesmo com o aumento dos números de pessoas vacinadas.

Para se ter uma ideia, a Variante Delta já é considerada tão transmissível como a  catapora e o resfriado comum, representando 90% dos casos nos EUA e 49% dos casos no Brasil. Embora a vacinação esteja gerando bons resultados, ainda assim o problema chama atenção para as flexibilizações das restrições sanitárias no Brasil.

Desse modo, os cuidados devem continuar como: higienização das mãos, uso de máscaras adequadas, evitar aglomerações, vacinação em massa e distanciamento social, quanto maior a distância maior a proteção, principalmente em relação às cepas de alta transmissibilidade como a Delta.

Controle da Disseminação

Mas como manter a proteção no ambiente de trabalho, já que progressivamente as empresas estão voltando com as atividades presenciais?

Realmente, esta é uma das maiores preocupações no mundo corporativo, mas para manter a segurança e proporcionar um local livre da cepa original e também da variante delta, além da limpeza criteriosa dos locais de trabalho e distanciamento entre colaboradores, muitas organizações têm investido em outras formas de higienização.

Primeiramente, é importante lembrar que, até poucos anos atrás, a maioria das soluções utilizada na higienização era extremamente agressiva ao ambiente e às pessoas que frequentavam o local. 

No entanto, a tecnologia passou a ser uma aliada para a realização desses serviços, transformando as soluções em iniciativas cada vez mais sustentáveis e preocupadas com o meio ambiente, como é o caso da utilização da Luz UV-C para a desinfecção de objetos, superfícies e ambientes. 

Com o uso de equipamentos que possuem esta tecnologia, áreas que representam uma ameaça de contaminação cruzada recebem desinfecção que pode alcançar até 99,9% de efetividade contra vírus, bactérias e outros patógenos, o que obviamente inclui as cepas antigas e novas do coronavírus. 

Como a UV-C funciona?

A eficácia da radiação UV se deve ao espectro de luz conter mais energia devido ao comprimento de onda mais curto do que estamos acostumados a enxergar, como a luz, por exemplo. A região entre 200 a 280 nm é denominada UV-C e é conhecida pelos seus efeitos bactericida e germicida.

Os raios UV-C geralmente podem ser encontrados em lâmpadas germicidas e em alguns arcos de solda, porém, ao contrário do que muitos imaginam, eles não estão presentes na luz solar na superfície da terra.

Benefícios do UV-C

A seguir separamos alguns benefícios relacionados à utilização da tecnologia UV-C em ambientes escolares, públicos e corporativos. Confira:

Desinfecção do ar e superfícies

A tecnologia UV-C tem sido utilizada há mais de 70 anos com segurança em diversos hospitais, clínicas, escritórios comerciais, fábricas e outras instalações comerciais e residenciais em todo o mundo. 

As principais associações internacionais de engenharia, e outras entidades de saúde pública e segurança do trabalho orientam o uso do UV-C no combate à pandemia, já que ela é capaz de desinfetar ambientes e objetos.

Não há perigo quanto à radiação

Geralmente, os equipamentos que usam Luz UV-C para desinfetar ambientes são automáticos e fazem com que a emissão de radiação dure enquanto o processo estiver em operação e sem a presença de ninguém. Quando o processo chega ao fim não há permanência da radiação no ambiente, diferentemente do ozônio. Desta forma, os raios UV-C não prejudicam equipamentos, móveis ou pessoas.

Invalida a resistência de micro-organismos

Diferentemente de alguns produtos, a probabilidade de um micro-organismo criar resistência e sobreviver ao contato com UV-C é nula, já que a energia do raio destrói a sua estrutura e inativa as células vivas, tornando vírus, bactérias, leveduras e fungos inofensivos em segundos. 

Quebra o processo de transmissão

Você sabe como acontecem as infecções causadas por patógenos?

Elas costumam ser originadas por pessoas, principalmente quando tossem ou espirram, em seguida micro-organismos são transportados pelo ar, se espalham pelas superfícies, piso objetos e equipamentos. Porém, a desinfecção por meio do UV-C diminui esses micro-organismos de forma eficiente ao interceptá-los no ar ou no próprio ambiente. 

Sustentável

Se a intensidade da irradiação for suficientemente alta, a desinfecção UV-C se torna um método muito confiável, ágil e ecológico, visto que não há a necessidade de utilizar produtos químicos, por exemplo. 

Atenção!

Embora a desinfecção com raios UV-C seja segura e eficiente contra a Variante Delta da COVID-19, ainda assim não dispensa as outras medidas de segurança previstas pelos órgãos de saúde que citamos anteriormente. 

Conheça a linha de produtos da 59S que utilizam a Luz UV-C. Há diversos equipamentos para atender as mais variadas necessidades. Descubra navegando pelo nosso e-commerce: https://59sbrasil.com.br/loja/ 

Publicado em

Tecnologia do UV-C: tendência de mercado que a 59s Brasil está introduzindo no Brasil

Para entender como os equipamentos com UVC da 59S são eficientes no combate a bactérias, germes, vírus, fungos e outros micro-organismos, é necessário ir a fundo e entender um pouco mais sobre a tecnologia. Vamos lá? Leia este conteúdo até o final e entenda um pouco mais sobre UV-C e a atuação da 59S na disseminação desta tendência no mundo e, agora, no Brasil!

Afinal, o que é UV-C? 

Antes de entendermos a UV-C é preciso entender o que é a Luz UV. Trata-se de um tipo de radiação eletromagnética, em que as ondas ficam abaixo da luz visível, por isso não podem vê-la. A Luz UV é dividida em três tipos: UV-A, UV-B E UV-C. 

Provavelmente você já deve ter visto algo sobre UV-A e UV-B, principalmente nas embalagens de fotoprotetores. Isso porque a radiação UV-A provoca desde o bronzeado momentâneo até o envelhecimento precoce das células da epiderme. Os raios UV-B, por sua vez, não chegam totalmente até ao ser humano, pois são parcialmente absorvidos pela camada atmosférica da Terra, sendo a radiação que consegue ultrapassar essa barreira nociva ao organismo humano. 

Por isso é que o recomendável é se expor ao sol somente antes das 10h00 da manhã e após as 16h00, já que fora desses horários a radiação é mais intensa e capaz de penetrar superficialmente a pele e causar queimaduras provocadas pelo sol. 

Já a radiação UV-C é diferente, mas embora seja mais perigosa e danosa à nossa saúde, ela é absorvida pelo oxigênio e o ozônio da atmosfera, ou seja, é uma radiação que não chega até às pessoas. Por serem mais fortes, os raios UV-C têm a capacidade de destruir não só o RNA de vírus, mas também o DNA, por isso muitos equipamentos tecnológicos hoje em dia o utilizam. 

Desse modo, quando equipamentos que possuem esse tipo de radiação estão em funcionamento é muito importante que não haja presença humana no local. O que não é um problema com os equipamentos da 59S, que possuem válvulas de segurança que desligam a luz automaticamente quando detectam a presença de humanos ou animais. 

Tecnologia UV-C x Vírus 

Diante do atual cenário, principalmente com a disseminação massiva da variante Delta do novo coronavírus, a busca por formas mais práticas e eficientes de fazer a higienização de ambientes, equipamentos, objetos, roupas e entre outros tem ganhado cada vez mais espaço. 

A partir do aumento dessa busca é que o uso da radiação UV-C apareceu como uma opção segura e estratégica. Mas, o que muitos não sabem é que a tecnologia UV-C começou a ser estudada no ano de 1908 com a finalidade de desinfetar ambientes, por isso tem sido utilizada há mais de um século em hospitais, aviões, escritórios e indústrias.

Mas, você deve estar se perguntando, por que a solução é tão eficiente?

A radiação UV-C elimina vírus, bactérias e micro-organismos devido à quebra do código genético ocasionada pelos raios, garantindo a total desinfecção do ambiente, superfície ou objeto.  

De acordo com as diretrizes mais recentes sobre o diagnóstico e o tratamento da COVID-19, lançado pela Comissão Nacional de Saúde da China, bem como diversos outros estudos, o vírus é sensível à luz e ao calor ultravioleta, desse modo, a radiação UV-C o elimina efetivamente. 

Atuação 59S

Outro fato que talvez você também não saiba: a tecnologia UV-C é uma tendência de mercado que a 59S Brasil está introduzindo no Brasil. 

A 59S é uma fábrica de atuação global, pioneira e líder na fabricação de produtos com UV-C LED, projetando e colocando no mercado mundial soluções de desinfecção para uso doméstico e ambientes de cuidados com a saúde.

A empresa possui duas fábricas e mais de mil funcionários dedicados a entregar ao mercado produtos de primeira linha, primando por um rigoroso controle de qualidade em todos os processos, além de apostar em um design moderno e de uso simples, quase intuitivo.

Além do pioneirismo em desinfecção por UV-C LED, a empresa foi a primeira fábrica a desenvolver e colocar no mercado uma linha completa de produtos que atendem a uma enorme variedade de utilizações. Para você tem ideia, atualmente um em cada dois BEADS de UV-C LED no mundo é fabricado pela 59S (BEAD, ou esfera, é cada ponto de luz, como se fosse uma lâmpada bem pequena, veja imagem abaixo).

A 59S criou uma linha de produtos que tornou acessível o uso efetivo da tecnologia UVC LED no dia a dia das pessoas. São produtos fáceis de usar, tem um custo acessível e é a melhor, mais simples e ecológica maneira de desinfetar superfícies, objetos, ferramentais e alimentos.

Os produtos já estão presentes em mais de 14 países, como Estados Unidos, Alemanha, Rússia, Japão, Coreia, Emirados Árabes Unidos, México, Índia e China, e já tem as seguintes certificações: FDA, FC, CE, SGS, ROSH, GT Certification.

E não para por aí! Esses produtos são reconhecidos e premiados, recebendo vários prêmios como: Design Award 2020, RedDot Design Award; Innovation Design Award 2019, Good Dessing Award 2019; Upstyle Award, entre outros.

Publicado em

Entenda como a luz ultravioleta pode ser usada contra o coronavírus e suas variantes

A pandemia causada pela COVID-19 causou impactos globais não só de ordem epidemiológica, mas também nas esferas sociais, políticas, econômicas, culturais e até mesmo históricas.  

Além das medidas de prevenção para frear a disseminação do vírus, tais como: uso de máscara, distanciamento social e vacinação, a higienização das mãos, objetos, superfícies e ambientes também se tornou uma medida indispensável para conter o novo coronavírus. 

Diante deste cenário, contar com tecnologias que asseguram a desinfecção é primordial, não é à toa que equipamentos que utilizam Luz Ultravioleta (UV-C) têm sido cada vez mais procurados por pessoas e, principalmente, por empresas que querem garantir a saúde dos seus clientes e colaboradores. 

Mas, você sabe por que a Luz Ultravioleta funciona contra o novo coronavírus?

A radiação UV-C é uma das luzes ultravioletas que formam a luz do sol, mas geralmente grande parte dela é barrada pela camada de ozônio. Ela é cientificamente reconhecida por sua capacidade de destruição de micro-organismos, por isso, com o advento da tecnologia, diversos equipamentos emitem a radiação UV-C com o objetivo de descontaminar ambientes e superfícies.

E por falar em micro-organismos, o UV-C é eficaz contra a SARS-CoV-2, causador da COVID-19, assim como para outros vírus e bactérias. Quer saber mais sobre isso? Continue lendo este artigo para descobris como a tecnologia funciona!

Eficiência do UV-C

A USP (Universidade de São Paulo) analisou os mecanismos relacionados à inativação do SARS-CoV-2 pela radiação ultravioleta e constataram, por meio dos ensaios realizados in vitro, que as lâmpadas com Luz UV-C conseguiram inativar 99% das partículas virais. 

Ou seja, o UV-C inativa os microrganismos porque quebra a cadeia de DNA, mas no caso do coronavírus, que possui outro material genético que é o RNA, ele também realiza a quebra dessa molécula, impossibilitando que o vírus produza novas partículas virais.

Vale lembrar que a Luz UV-C é eficiente para a desinfecção de superfícies, objetos e, principalmente, em ambientes com circulação reduzida de pessoas e com maiores chances de dispersão do vírus. No ambiente hospitalar, por exemplo, inclusive nos quartos, a tecnologia atua com mais eficiência ainda.

Pontos de atenção

Outro fator que também contribui e muito com a eficácia do ultravioleta é saber como aplicá-lo corretamente. Simplificadamente, os raios devem incidir diretamente sobre os microrganismos, para isso, o equipamento deve passar com a luz em toda a estrutura para garantir que realmente está desinfetando o lugar em que eles estão. 

O tempo de exposição também é crucial, mas é preciso ressaltar que ele pode variar dependendo do ambiente e da potência da luz. Geralmente, é recomendável que ela seja aplicada por aproximadamente 10 a 20 minutos e de forma constante. São particularidades que, certamente, vêm especificadas no equipamento. 

Para quem ainda não conhece, a utilização de equipamentos que possuem luz UV-C deve ser feita com atenção e alguns cuidados, entre eles não expor os olhos e demais partes do corpo diretamente à luz, que deve ficar próxima da superfície a ser exposta, mas não incidir diretamente sobre as pessoas. 

Então, sempre opte por aparelhos que contenham dispositivos de segurança, ou seja, que desliguem automaticamente sempre que detectar a presença de pessoas ou animais. Eles também devem vir acompanhados de instruções claras a respeito de seu correto uso e dos riscos de sua manipulação inadequada.

Equipamentos especializados

No Brasil, a 59S oferece diversos produtos com a tecnologia ultravioleta, incluindo caixas, bastão e luzes, que realmente atestam a eficácia das fontes de luz na inativação do novo coronavírus.

Todos os produtos da 59S são fáceis de usar, têm um custo acessível e utilizam a melhor, mais simples e ecológica maneira de desinfetar superfícies, objetos, ferramentais e alimentos, por isso já estão presentes em mais de 14 países, como Estados Unidos, Alemanha, Rússia, Japão, Coreia, Emirados Árabes Unidos, México, Índia e China, e possuem as seguintes certificações: FDA, FC, CE, SGS, ROSH, GT Certification.

Quer conhecer a linha completa 59S? Clique aqui!

Referências

https://www.cnnbrasil.com.br/saude/2021/07/02/entenda-como-a-luz-ultravioleta-pode-ser-usada-contra-a-covid-19 

https://portal.fiocruz.br/impactos-sociais-economicos-culturais-e-politicos-da-pandemia 

http://www.cvs.saude.sp.gov.br/ler.asp?nt_codigo=4144&nt_tipo=0&te_codigo=17 

 

Publicado em

Cabine de luz ultravioleta para a desinfecção das compras de mercado pode ser o futuro

Quem não criou o hábito durante a pandemia de higienizar todos os produtos comprados no supermercado? Essa atitude tornou-se quase automática, mas muitas pessoas ainda se queixam, afinal, dá trabalho passar álcool ou lavar com sabão cada pacote ou frasco. 

Diante das necessidades também surgem novas tendências e, inclusive, as soluções. Desta forma, supermercados ficaram atentos aos novos hábitos dos consumidores e, antes o que era apenas um planejamento para o futuro, tornou-se uma realidade. Entre essas inovações está a cabine de luz ultravioleta para desinfecção das compras.

Você já ouviu falar?

As mercadorias ofertadas em lojas e outros estabelecimentos comerciais normalmente entram em contato com uma grande quantidade de pessoas e, portanto, estão sob constante risco de contaminação. Alguns cuidados e medidas básicas de higienização dos produtos por parte dos consumidores já reduzem significativamente os riscos de contaminação.

Para facilitar a vida dos seus clientes, alguns supermercados mapearam essas necessidades e definiram alguns protocolos sanitários como, por exemplo, evitar aglomerações, aumentar a higienização e medir a temperatura dos colaboradores e consumidores.

Mas, outro procedimento tem chamado atenção. Depois que as compras são colocadas no carrinho, o próximo passo é colocá-las dentro de uma cabine com luz UV-C capaz de reduzir a carga bacteriológica e de vírus na superfície dos itens. Por fim, os produtos devem ser colocados em cima de uma bancada para serem pulverizados com álcool 70%.

Mas, o que é essa Cabine de Raios UV-C?

Trata-se de uma nova tecnologia que utiliza os raios UV-C para desinfetar os produtos comprados. Durante o processo, ninguém pode entrar na cabine, apenas os produtos, que ficam ali por cerca de 30 segundos até serem higienizados.

Embora o risco de propagação da covid-19 pelas embalagens seja baixo, ainda assim esse método gera mais confiança ao consumidor, promovendo a percepção de que suas compras estão realmente higienizadas. Prevenção nunca é demais, não é mesmo? Também devemos lembrar que existem outros germes, bactérias e vírus que devem ser combatidos, além do novo coronavírus.

Poder da Luz UV-C

Em termos de melhoria da qualidade do ar, é comprovado que microgotículas advindas da respiração humana podem ser agentes de contaminação. Elas normalmente decantam, se assentando nas superfícies (pisos, mesas e outros planos) após algum tempo, podendo ser horas. 

Dessa forma, o recomendável é sempre usar máscaras em ambientes por onde circulam ou circularam muitas pessoas, pois nunca ser sabe se o ar possui agentes de contaminação deixados por pessoas que passaram por ali. 

Nesses locais, ainda mais onde a circulação natural de ar é limitada, a iluminação com UV-C pode ser uma boa opção, mas como falamos, desde que não permaneçam ou circulem pessoas no momento da ativação da UV-C. Quando houver pessoas, é indispensável o uso de circuladores de ar providos de filtros ou reatores internos de UV-C.

Por fim, é importante reforçar que os raios UV-C têm potencial para causar danos às pessoas se não usada apropriadamente. Queimaduras de pele e córnea, eritemas ou mesmo câncer de pele, por exemplo, são consequências que podem surgir caso o uso da tecnologia seja inadequado. Deve-se evitar por completo a exposição de qualquer parte do corpo humano à luz UV-C.

E aí, você acha que essa moda pega?

Caso tenha gostado desse conteúdo, compartilhe com outras pessoas!

Publicado em

VEJA: Os benefícios da tecnologia UV-C para esterilizar os ambientes

Desde o início da pandemia, diversas maneiras de desinfecção, tanto de objetos quanto de ambientes têm sido descobertas e chamado atenção das pessoas, afinal, saúde e proteção são as atitudes do momento!

Entretanto, o que faz realmente a diferença é que esses produtos sejam verdadeiramente eficazes contra germes, vírus e bactérias, principalmente contra o novo coronavírus. Neste contexto, a Luz UV-C ganha espaço, já que elimina esses microorganismos por meio da energia contida na onda que emite. Dessa forma, se posiciona como um método mais seguro e eficaz que os processos de limpeza comum com desinfetantes. 

Mas, você sabe como a Luz UV-C funciona?

A eficácia da radiação UV se deve ao espectro de luz conter mais energia devido ao comprimento de onda mais curto do que estamos acostumados a enxergar, como a luz, por exemplo. A região entre 280 e 220 nm é denominada UV-C e é conhecida pelos seus efeitos bactericida e germicida. 

Os raios UV-C geralmente podem ser encontrados em lâmpadas germicidas e em alguns arcos de solda, porém, ao contrário do que muitos imaginam, eles não estão presentes na luz solar na superfície da terra. 

Como saber se o UV-C é realmente eficaz?

Geralmente, os produtos que utilizam esse tipo de luz devem ser amplamente testados e seguir normas de segurança e eficácia estabelecidas por entidades científicas e regulamentadoras nacionais e internacionais. 

Existem diversos estudos que comprovam a eficácia da Luz UV-C, principalmente relacionada à eliminação de coronavírus e outros microorganismos. O embasamento científico já é bastante sólido, visto que a técnica era usada em outros patógenos, como a Influenza.

Um estudo publicado recentemente na Scientific Reports, por exemplo, revela que o UV-C elimina até 99,9% dos coronavírus HCoV-229E e HCoV-OC43, quando eles são expostos a esse tipo de radiação durante 25 minutos. 

Pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) também verificaram a eficácia microbicida dos raios contra o Sars-CoV-2 em laboratório, tanto que hoje é utilizado amplamente para a desinfecção de máscaras N95. 

Segundo a pesquisa, a radiação UV-C é absorvida diretamente pelas bases de piramidina do vírus, o que leva à inativação viral por danos no material genético (DNA/RNA). Também podem acontecer danos em outras estruturas do vírus, como a proteína do revestimento viral, que protege o RNA da radiação UV-C, impedindo a infecção nas células hospedeiras. 

Benefícios do UV-C

Abaixo listamos alguns benefícios relacionados à utilização da tecnologia UV-C em objetos e ambientes

Desinfecção do ar e superfícies

A tecnologia UV-C tem sido utilizada há mais de 70 anos com segurança em diversos hospitais, clínicas, escritórios comerciais, fábricas e outras instalações comerciais e residenciais em todo o mundo. 

As principais associações internacionais de engenharia, e outras entidades de saúde pública e segurança do trabalho orientam o uso do UV-C no combate à pandemia, já que ela é capaz de desinfetar ambientes e objetos.

Não há perigo quanto à radiação

Geralmente, os equipamentos que usam Luz UV-C para desinfetar ambientes são automáticos e fazem com que a emissão de radiação dure enquanto o processo estiver em operação e sem a presença de ninguém. Quando o processo chega ao fim não há permanência da radiação no ambiente, diferentemente do ozônio. Desta forma, os raios UV-C não prejudicam equipamentos, móveis ou pessoas.

Invalida a resistência de micro-organismos

Diferentemente de alguns produtos, a probabilidade de um micro-organismo criar resistência e sobreviver ao contato com UV-C é nula, já que a energia do raio destrói a sua estrutura e inativa as células vivas, tornando vírus, bactérias, leveduras e fungos inofensivos em segundos. 

Quebra o processo de transmissão

Você sabe como acontecem as infecções causadas por patógenos?

Elas costumam ser originadas por pessoas, principalmente quando tossem ou espirram, em seguida micro-organismos são transportados pelo ar, se espalham pelas superfícies, pisos, objetos e equipamentos. Porém, a desinfecção por meio do UV-C diminui esses micro-organismos de forma eficiente ao interceptá-los no ar ou no próprio ambiente. 

Sustentável

Se a intensidade da irradiação for suficientemente alta, a desinfecção UV-C se torna um método muito confiável, ágil e ecológico, visto que não há a necessidade de utilizar produtos químicos, por exemplo. 

Atenção!

Embora a desinfecção com raios UV-C seja segura e eficiente contra a COVID-19, ainda assim não dispensa as outras medidas de segurança previstas pelos órgãos de saúde, entre elas: vacinação, uso de máscara, lavagem das mãos, distanciamento social e utilização do álcool em gel. Manter essas atitudes é uma forma de se proteger e também mostra empatia com o próximo. 

Conheça a linha de produtos da 59S que utilizam a Luz UV-C. Há diversos equipamentos para atender as mais variadas necessidades. Descubra navegando pelo nosso e-commerce: https://59sbrasil.com.br/loja/