Publicado em

Radiação UV-C x Métodos Convencionais

A pandemia causada pela COVID-19 não trouxe apenas dúvidas relacionadas ao vírus, mas também despertou questionamentos a respeito da proteção e métodos de higienização que combatem efetivamente germes, vírus e bactérias.
Neste artigo você entenderá quais procedimentos são mais indicados para conter a proliferação do vírus; a diferença entre limpeza, higienização, desinfecção, sanitização e esterilização; e a eficácia do UV-C na limpeza, higienização e desinfecção de ambientes, objetos e superfícies. Aproveite a leitura!

Limpeza
Esse método é o mais simples entre os demais, pois é caracterizado basicamente pela remoção da sujeira. Mas, não se engane! A limpeza pode ser muito eficaz contra microrganismos, já que quando é usado algum produto químico associado à esfregação e enxágue, a redução de microbiologia pode chegar até 60%.

Desinfecção
Sempre falamos em desinfecção de ambientes, objetos e superfícies por aqui e sabe por quê? Porque esse processo elimina até 99% dos germes, bactérias e vírus, o que inclui o novo coronavírus e suas variantes. Geralmente, a desinfecção é realizada com desinfetantes ou com tecnologias como UV-C, que falaremos ao longo do artigo, e reduz os microrganismos a níveis não patogênicos com um tempo médio de contato de 10 minutos.
Vale lembrar que a desinfecção elimina a maioria dos organismos causadores de doenças, como falamos antes, mas com exceção dos esporos.

Higienização
A higienização acontece quando realizamos a limpeza e em seguida o processo de desinfecção do ambiente, superfície ou objeto. Como são associados dois procedimentos, os resultados são ainda mais positivos, quando bem executados.

Sanitização
Quando falamos em sanitização, significa que estamos tratando de um processo mais minucioso, visto que é amplamente utilizado na indústria alimentícia, porque exige, por exemplo, um alto grau de cuidados sanitários.
Para realizar o processo, é necessário utilizar sanitizantes específicos, que eliminem totalmente níveis de componentes microbiológicos. Esse processo não se aplica ao nosso cotidiano, pois obedece a regras diferentes da desinfecção.
Leia também “Cabine de luz ultravioleta para a desinfecção das compras de mercado pode ser o futuro”.

Esterilização
Desinfecção e Esterilização são processos normalmente muito confundidos. Vamos então entender a diferença?
Esterilizar um ambiente significa eliminar totalmente os microrganismos, inclusive seus esporos, por meio de processos físicos ou químicos bastante agressivos e restritos. Não utilizamos esse termo para desinfecções do dia a dia, porque trata-se de um processo realizado em situações em que a máxima segurança é necessária, como é o caso de salas cirúrgicas de hospitais ou locais de biossegurança.

UV-C em ação
Como podemos concluir, os métodos convencionais que utilizam desinfetantes, álcool entre outros produtos para a limpeza e desinfecção de ambientes são bastante eficazes, mas sabemos que muitas vezes não são nada práticos e demandam bastante tempo.
Por esses e outros motivos, os equipamentos que possuem UV-C têm sido um dos recursos propostos pelo mercado para desinfecção de ambientes e superfícies em geral, combatendo, dentre outros microrganismos patogênicos, o novo coronavírus.

Mas, o que é o UV-C?
A radiação UV-C é uma das luzes ultravioletas que formam a luz do sol, mas geralmente grande parte dela é barrada pela camada de ozônio. Ela é cientificamente reconhecida por sua capacidade de destruição de microrganismos, por isso, com o advento da tecnologia, diversos equipamentos emitem a radiação UV-C com o objetivo de descontaminar ambientes e superfícies.
A USP (Universidade de São Paulo) analisou os mecanismos relacionados à inativação do SARS-CoV-2 pela radiação ultravioleta e constataram, por meio dos ensaios realizados in vitro, que as lâmpadas com Luz UV-C conseguiram inativar 99% das partículas virais.
Portanto, o UV-C inativa os microrganismos porque quebra a cadeia de DNA, mas no caso do coronavírus, que possui outro material genético que é o RNA, ele também realiza a quebra dessa molécula, impossibilitando que o vírus produza novas partículas virais.
Vale lembrar que a Luz UV-C é eficiente para a desinfecção de superfícies, objetos e, principalmente, em ambientes com circulação reduzida de pessoas e com maiores chances de dispersão do vírus. No ambiente hospitalar, por exemplo, inclusive nos quartos, a tecnologia atua com mais eficiência ainda.

Equipamentos com UV-C
No Brasil, a 59S oferece diversos produtos com a tecnologia ultravioleta, incluindo caixas, bastão e luzes, que realmente atestam a eficácia das fontes de luz na inativação de germes, vírus e bactérias.
Todos os produtos da 59S são fáceis de usar, têm um custo acessível e utilizam a melhor, mais simples e ecológica maneira de desinfetar superfícies, objetos, ferramentais e alimentos, por isso já estão presentes em mais de 14 países.
Quer conhecer a linha completa 59S? Acesse aqui a página de produtos!

Referências
https://higtop.com.br/limpeza-e-desinfeccao-entenda-as-diferencas-entre-os-metodos/
http://www.cvs.saude.sp.gov.br/ler.asp?nt_codigo=4144&nt_tipo=0&te_codigo=17
https://59sbrasil.com.br/entenda-como-a-luz-ultravioleta-pode-ser-usada-contra-o-coronavirus-e-suas-variantes/
https://portalhospitaisbrasil.com.br/qual-a-diferenca-entre-limpeza-higienizacao-sanitizacao-desinfeccao-e-esterilizacao/